Biografia

O Grupo Cultural Pé de Cerrado se reuniu, pela primeira vez,  em 1999, com a proposta de pesquisar a cultura brasileira, depois que seus primeiros integrantes realizaram a trilha sonora da peça “A Pena e a Lei”, de Ariano Suassuna, ainda recém-formados pela Escola de Teatro Dulcina de Morais.

O Grupo Cultural Pé de Cerrado se reuniu, pela primeira vez, em 1999, com a proposta de pesquisar a cultura brasileira, depois que seus primeiros integrantes realizaram a trilha sonora da peça “A Pena e a Lei”, de Ariano Suassuna, pela Escola de Teatro Dulcina de Morais.

O grupo é formado pelos multi-instrumentistas, atores e pesquisadores da cultura brasileira Pablo Ravi, Bruno Ribeiro, Bruno Berê, Fernando Fernandes, Pedro Tupã, Davi Abreu e Clênio Guimarães e está sempre com diversas participações especiais em cada um de seus espetáculos. Com a destreza de misturar as diversas formas de expressões artísticas e as mais plurais manifestações da cultura brasileira, os espetáculos trazem música, circo, dança, poesia, teatro e proporcionam uma intensa participação do público.

Influenciados por grandes mestres da cultura brasileira, o grupo foi responsável por importantes projetos culturais em Brasília, como o projeto infantil “O Pé na Escola”, o projeto “Ensaio Aberto” e o projeto “O Pé Convida”.

O “Ensaio Aberto”, entre 2002 e 2003, atraía mais de mil pessoas todas as quartas-feiras ao clube da AABR e contou com a participação de músicos consagrados, como Hermeto Pascoal. O projeto independente “O Pé Convida” teve em suas muitas apresentações lotação esgotada. O grupo, que investe intensamente em pesquisa, procura divulgar a mais genuína cultura popular brasileira e nos últimos anos o executou dezenas de projetos de sucesso, principalmente no DF.

DISCOGRAFIA:

Nesses 19 anos de carreira, gravaram 3 CDs (o primeiro com a participação de Dominguinhos) e 1 DVD. O último CD foi construído para o público infantil, demonstrando a diversidade do público do grupo. Atualmente, trabalham na produção do DVD infantil. Foram responsáveis também pela gravação do CD da “Marcha das Margaridas”, no ano de 2011, além da participação com a música “Mundão”, no CD “Nós por Eles”, do grupo Quinteto Violado: mestres que o Pé de Cerrado, em 2017, teve a honra de realizar um show junto com eles na Espanha.

PRÊMIOS:

O Pé de Cerrado foi um dos que conquistaram o prêmio SESC de Música Tom Jobim 2007. A música “Viva o Côco” foi uma das 12 músicas selecionadas para fazer parte do CD da premiação. Em 2013, conquistou o prêmio de melhor trilha sonora na Mostra de Cinema B.O, com o filme “Severino quer Gravar”. Já 2014 foi o ano do prêmio Dulcina de Moraes, pelo FAC, que possibilitou a montagem do espetáculo infantil do grupo.  Em 2018, conquistaram o Prêmio FAC Cultura e Cidadania, que reconheceu a relevância do grupo para a categoria de Culturas Populares.

REPRESENTANDO O BRASIL NO EXTERIOR:

Selecionados para representar a cultura brasileira no exterior, o Pé de Cerrado levou, em 2017, a riqueza da cultura do DF para Portugal e Espanha, no projeto “Brasil Junino”, em que realizaram 24 ações, entre shows e intervenções culturais.

A diversidade de performances e de espetáculos do Grupo Cultural Pé de Cerrado possibilita apresentações em diversos eventos, em muitos formatos e para públicos variados. Essa é uma das marcas do grupo, que democratiza o acesso à mais genuína cultura popular brasileira.

Estrela (Alta) (1)

 

Integrantes


Pablo Ravi
Músico, ator, palhaço, produtor, professor. Formado em artes cênicas, idealizou o Pé de Cerrado ao realizar a trilha sonora de peça teatral de Ariano Suassuna. Toca na noite brasiliense há mais de quinze anos. Tem ampla experiência de direção musical com diversas bandas, no teatro e em festivais. Foi regente do coral infantil do SESI, em Taguatinga. Atualmente realiza trabalho de conscientização e valorização da cultura indígena para crianças e adolescentes em parceria com a Tribo Fulni-ô, de Pernambuco. Estudou canto, piano e sanfona na Escola de Música de Brasília, é diretor musical do Circo Teatro Artetude é um dos produtores do Grupo Cultural Pé de Cerrado.


Bruno Ribeiro
Cantor, compositor, violonista. Há doze anos no teatro trabalhou com o grupo Os Donos do pedaço. Formou-se em Artes Cênicas na Faculdade de Artes Dulcina de Moraes (DF). Atuou na peça “A Pena e a Lei”, de Ariano Suassuna, exibida em Brasília. Traz experiência de vários outros trabalhos teatrais. Foi professor da Fundação Educacional do Distrito Federal e estudou canto, violão e violoncelo na Escola de Música de Brasília.

 


Fernando Rodrigues 
Contrabaixista, percussionista e compositor. É produtor musical, técnico de som, realiza trilhas sonoras e é dono do Studio Sonar, no DF, onde realiza trabalhos musicais, gravações e ensaios. Estudou canto e baixo elétrico na escola de música de Brasília e toca com os mais variados artistas nas noites da capital.

 


Bruno Berê 
Violonista, guitarrista e compositor. Formado em guitarra pela Escola de Música de Brasília, estudou na Escola Brasileira de Choro Rafael Rabello e, atualmente faz sua segunda graduação, em Música Popular, na Universidade de Brasília (UnB). Bruno Berê mantém projetos de música instrumental, em parceria com músicos da cidade.

 


Pedro Tupã

Em 2002 participou do show de lançamento do Cd “Reza” no programa de “Instrumental SESC” em São Paulo. Em 2008 estiveram na Alemanha com o grupo, convidados a participar de festivais de arte e cultura. Gravaram o CD Schmuckstrasse (A Rua das Joias), lançado na Alemanha e no Brasil em 2009. Tupã mudou-se para Brasília em 2010, onde passou a estudar percussão popular e pandeiro na Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, percussão sinfônica na Escola de Música de Brasília e Licenciatura em Música na Universidade de Brasília. Marcado pela versatilidade, Tupã atua em diversos contextos musicais: se apresenta com orquestras grupos de cultura popular, companhias de teatro. Atua também como arte educador ministrando palestras, oficinas e workshops em projetos sociais e artísticos. Atualmente estuda na UnB e desenvolve o projeto de extensão, dando aulas de percussão para alunos da rede pública e dá aulas de percussão na Banda Marcial do Colégio Marista de Brasília. Depois de muitos anos tocando esporadicamente com o Grupo Cultural pé de Cerrado, se tornou integrante permanente do grupo em 2015, sendo esse o seu principal grupo de trabalho atualmente.

Clênio Guimarães Rodrigues

Percussionista e Mestre em Música pela Universidade Federal de Goiás – UFG (Área de Concentração – Música na Contemporaneidade, Linha de Pesquisa – Música, Cultura e Sociedade). Em 2011 defendeu a dissertação intitulada – Sussas e Curraleiras Kalungas: na Folia do Divino Pai Eterno da cidade de Cavalcante – GO e na Festa de Santo Antônio da comunidade do Engenho II. Sua formação musical variada e ampla proporciona que atue como professor de Percussão Popular, Percussão Erudita e Bateria. Desde 2010 é professor efetivo da Secretaria de Educação do Estado de Goiás atuando como professor de bandas musicais e da disciplina música para o ensino fundamental (6º ao 9º anos). Também é docente do IFG (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás), em regime temporário, lecionando no curso Técnico em Instrumento Musical. Licenciado em Música pela Universidade de Brasília – UnB, tem ainda em sua formação Cursos Técnico em Música e Técnico em Instrumento – Bateria, pela Escola de Música de Brasília – EMB (2006). Como percussionista integrou a primeira formação da banda Salve Jorge, atualmente banda Salve.

9 Comments

  1. Demais galera, parabéns a todos!

  2. Aquele camarada ali Clenio…e meu primo! =) Estudado ele…parabens! ok…lindo trabalho agora vem pra ca me ensinar tocar esse teclado e ler partitura porque ta dificillll viu! Rs bjus

  3. eles forão la na minha escola é a escola classe basevi…
    eu e meus amigos achamos muito legal
    muito obriga da pela visita na nossa escola todos nós adoramos

    BEIJOS ENORMES PARA TODOS VCS

    DE KAMILE
    PARA PÉ DE SERRADO

  4. Parabéns pelo trabalho. Conheci o som de vocês por acaso. Uma amiga gravou pra mim um cd, e depois de meses escutando resolvi pesquisar sobre a banda. O que mais me impressiona é a profundidade das letras da música, regadas de espiritualidade, amor ao divino e à essência da nossa existência. Namastê!

  5. Gente, vocês são demais!!!! Amei amei amei! Fazia muito tempo que não ouvia um som que me encantasse tanto!!!

  6. Parabéns pelo belo trabalho, um som que expressa a diversidade da cultura brasileira valorizando aquilo que temos de mais rico- a pluralidade e a miscigenação. Salve a cultura brasileira!

  7. Muito lindo o trabalho de vocês! Dançamos a sua CIRANDA numa bela roda dia 21/1 com 50 pessoas aqui em Araçatuba _SP. Fiquei com muita inspiração para coreografar outras músicas e peço a permissão do grupo para utiliza-las no meu trabalho com Danças Circulares. Beijossss e gratidão.

  8. Fica a vontade nossa música é livre ficamos felizes de vcs usarem elas para tudo que for do bem.

  9. Não tem um dia se quer que se passe sem eu ouvir vocês.

    Muito Obrigada !

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.